terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Ano da Fé



O Santo Padre Bento XVI,através da exortação Apostólica Porta Fi deli,para celebrar os 50 anos da abertura do Concílio Vaticano II,faz menção que a partir do dia 11 de Outubro,Inicia o Ano da Fé.Mediante a esse apelo do Papa,veio ao meu coração,o desejo de já começar a trazer está realidade,sobre minha vivência da Fé.Na Palavra de Deus encontramos:
A Fé é a certeza daquilo que ainda se espera,a demonstração de realidade que não se vêem (Hb 11,1)
Partindo deste Principio Jesus Também retrata em algumas cura,a Fé daquele que vinha,ao seu encontro.Vejamos:

 1.Alguns dias depois, Jesus passou novamente por Cafarnaum, e espalhou-se a notícia de que ele estava em casa.2.Ajuntou-se tanta gente que já não havia mais lugar, nem mesmo à porta. E Jesus dirigia-lhes a palavra.3.Trouxeram-lhe um paralítico, carregado por quatro homens. 4.Como não conseguiam apresentá-lo a ele, por causa da multidão, abriram o teto, bem em cima do lugar onde ele estava e, pelo buraco, desceram a maca em que o paralítico estava deitado. 5.Vendo a fé que eles tinham, Jesus disse ao paralítico: “Filho, os teus pecados são perdoados”.(Marcos 2;1-5)


 35.Quando Jesus se aproximou de Jericó, um cego estava sentado à beira do caminho, pedindo esmola.36.Ouvindo a multidão passar, perguntou o que estava acontecendo.37.Disseram-lhe: “Jesus Nazareno está passando”.38.O cego então gritou: “Jesus, Filho de Davi, tem compaixão de mim!”39.As pessoas que iam na frente mandavam que ele ficasse calado. Mas ele gritava mais ainda: “Filho de Davi, tem compaixão de mim!”40.Jesus parou e mandou que lhe trouxessem o cego. Quando ele chegou perto, Jesus perguntou:41.“Que queres que eu te faça?” O cego respondeu: “Senhor, que eu veja”.42.Jesus disse: “Vê! A tua fé te salvou”.43.No mesmo instante, o cego começou a enxergar de novo e foi seguindo Jesus, glorificando a Deus. Vendo isso, todo o povo deu glória a Deus.(Lucas 18;35-43)

 1.Quando terminou de falar estas palavras ao povo que o escutava, Jesus entrou em Cafarnaum.2.Havia um centurião que tinha um servo a quem estimava muito. Estava doente, à beira da morte.3.Tendo ouvido falar de Jesus, o centurião mandou alguns anciãos dos judeus pedir-lhe que viesse curar o seu servo.4.Quando eles chegaram a Jesus, recomendaram com insistência: “Ele merece este favor,5.porque ama o nosso povo. Ele até construiu uma sinagoga para nós”.6.Jesus foi com eles. Quando já estava perto da casa, o centurião mandou alguns amigos dizer-lhe: “Senhor, não te incomodes, pois não sou digno de que entres em minha casa.7.Por isso, nem fui pessoalmente ao teu encontro. Mas dize uma palavra, e meu servo ficará curado.8.Pois eu, mesmo na posição de subalterno, tenho soldados sob as minhas ordens, e se ordeno a um: ‘Vai! ’, ele vai; e a outro: ‘Vem! ’, ele vem; e se digo a meu escravo: ‘Faze isto! ’, ele faz”.9.Ao ouvir isso, Jesus ficou admirado. Voltou-se para a multidão que o seguia e disse: “Eu vos digo que nem mesmo em Israel encontrei uma fé tão grande”.10.Aqueles que tinham sido enviados voltaram para a casa do centurião e encontraram o servo em perfeita saúde.(Lucas 7;1-10)

Poderíamos trazer mais passagens,da ação de Jesus retratadas nas Sagradas Escrituras sobre a Fé,mas em um determinado momento,ele faz uma exortação meio agressiva em relação a Fé com aqueles que caminhavam com ele ouçamos:

 19.Jesus lhes respondeu: “Ó geração sem fé! Até quando vou ficar convosco? Até quando vou suportar-vos? Trazei-me o menino!”(Marcos 9;19)

Contemplado estra exoração trazendo para nossa realidade, ouviríamos também isto agora.Certamente sabemos que a palavra de Deus cura,salva e liberta,ela se faz atual hoje e sempre,então precisamos rever de fato,a nossa realidade em relação a nossa Fé.Sempre costumo dizer que para,entendermos as coisas de Deus,precisamos contar sempre com o Auxilio do Espírito Santo,no qual cada um de nós recebemos no Batismo.Trazer para o nosso dia a dia,está dependência dele.No Catecismo da Igreja Católica,nos é apresentado algumas características  da Fé,para que mediante a elas,possamos suscitar em nós,uma nova realidade sobre este tema tão importante na atualidade.

1°Fé dos Fiéis,Fé da Igreja recebida dos Apóstolos.
949-Na comunidade primitiva de Jerusalém, os discípulos "mostravam-se assíduos ao ensinamento dos Apóstolos, à comunhão fraterna, à fração do pão e às orações" (At 2,42).

2°Fé Ato Humano não Contrario a liberdade e Inteligência.
154 -Crer só é possível pela graça e pelos auxílios interiores do Espírito Santo Mas não é menos verdade que crer é um ato autenticamente humano. Não contraria nem a liberdade nem a inteligência do homem confiar em Deus e aderir às verdades por Ele reveladas. Já no campo das relações humanas, não é contrário à nossa própria dignidade crer no que outras pessoas nos dizem sobre si mesmas e sobre suas intenções e confiar nas promessas delas (como, por exemplo, quando um homem e uma mulher se casam), para entrar assim em comunhão recíproca. Por isso, é ainda menos contrário à nossa dignidade "prestar, pela fé, à revelação de Deus plena adesão do intelecto e da vontade" e entrar, assim, em comunhão íntima com ele.
155 -Na fé, a inteligência e a vontade humanas cooperam com a graça divina: "Credere est actus intellectus assentientis veritati divinae ex imperio voluntatis a Deo motae per gratiam - Crer é um ato da inteligência que assente à verdade divina a mando da vontade movida por Deus através da graça"

3°Fé,Dom de Deus.
153-Quando São Pedro confessa que Jesus é o Cristo, Filho do Deus vivo, Jesus lhe declara que esta revelação não lhe veio "da carne e do sangue, mas de meu Pai que está nos céus". A fé é um dom de Deus, uma virtude sobrenatural infundida por Ele. "Para que se preste esta fé, exigem-se a graça prévia e adjuvante de Deus e os auxílios internos do Espírito Santo, que move o coração e o converte a Deus, abre os olhos da mente e dá a todos suavidade no consentir e crer na verdade."

4°Fé,virtude Teologal.
1813-As virtudes teologais fundamentam, animam e caracterizam o agir moral do cristão. Informam e vivificam todas as virtudes morais. São infundidas por Deus na alma dos fiéis para torná-los capazes de agir como seus filhos e merecer a vida eterna. São o penhor da presença e da ação do Espírito Santo nas faculdades do ser humano. Há três virtudes teologais: a fé, a esperança e a caridade.
1816-discípulo de Cristo não deve apenas guardar a fé e nela vi­ver, mas também professá-la, testemunhá-la com firmeza e difun­di-la: "Todos devem estar prontos a confessar Cristo perante os homens e segui-lo no caminho da Cruz, entre perseguições que nunca faltam à Igreja. O serviço e o testemunho da fé são requi­sitos da salvação: "Todo aquele que se declarar por mim diante dos homens também eu me declararei por ele diante de meu Pai que está nos céus. Aquele, porém, que me renegar diante dos homens tam­bém o renegarei diante de meu Pai que está nos céus" (Mt 10,32-33).

5°Razões da Fé.
156-O motivo de crer não é o fato de as verdades reveladas aparecerem como verdadeiras e inteligíveis à luz de nossa razão natural. Cremos "por causa da autoridade de Deus que revela e que não pode nem enganar-se nem enganar-nos". "Todavia, para que o obséquio de nossa fé fosse conforme à razão, Deus quis que os auxílios interiores do Espírito Santo fossem acompanhados das provas exteriores de sua Revelação. Por isso, os milagres de Cristo e dos santos, as profecias, a propagação e a santidade da Igreja, sua fecundidade e estabilidade "constituem sinais certíssimos da Revelação, adaptados à inteligência de todos", "motivos de credibilidade" que mostram que o assentimento da fé não é "de modo algum um movimento cego do espírito".
651-"Se Cristo não ressuscitou, vazia é a nossa pregação, vazia é também a vossa fé" (1Cor 15,14). A Ressurreição constitui antes de mais nada a confirmação de tudo o que o próprio Cristo fez e ensinou. Todas as Verdades, mesmo as mais inacessíveis ao espírito humano, encontram sua justificação se, ao ressuscitar, Cristo deu a prova definitiva, que havia prometido, de sua autoridade divina.

6°Suscitar a Fé.
683-"Ninguém pode dizer ‘Jesus é Senhor’ a não ser no Espírito Santo" (1Cor 12,3). "Deus enviou a nossos corações o Espírito de seu Filho que clama: Abbá, Pai!" (Gl 4,6). Este conhecimento de fé só é possível no Espírito Santo Para estar em contato com Cristo, é preciso primeiro ter sido tocado pelo Espírito Santo É ele que nos precede e suscita em nós a fé. Por nosso Batismo, primeiro sacramento da fé, a Vida, que tem sua fonte no Pai e nos é oferecida no Filho, nos é comunicada intimamente e pessoalmente pelo Espírito Santo na Igreja:O Batismo nos concede a graça do novo nascimento em Deus Pai por meio de seu Filho no Espírito Santo Pois os que têm o Espírito de Deus são conduzidos ao Verbo, isto é, ao Filho; mas o Filho os apresenta ao Pai, e o Pai lhes concede a incorruptibilidade. Portanto, sem o Espírito não é possível ver o Filho de Deus, e sem o Filho ninguém pode aproximar-se do Pai, pois o conhecimento do Pai é o Filho, e o conhecimento do Filho de Deus se faz pelo Espírito Santo.
684-Espírito Santo, por sua graça, é primeiro no despertar de nossa fé e na vida nova que é "conhecer o Pai e aquele que Ele enviou, Jesus Cristo". Todavia, é último na revelação das Pessoas da Santíssima Trindade. São Gregório Nazianzeno, "o Teólogo", explica esta progressão pela pedagogia da "condescendência" divina:O Antigo Testamento proclamava manifestamente o Pai, mais obscuramente o Filho. O Novo manifestou o Filho, fez entrever a divindade do Espírito. Agora o Espírito tem direito de cidadania entre nós e nos concede uma visão mais clara de si mesmo. Com efeito, não era prudente, quando ainda não se confessava a divindade do Pai, proclamar abertamente o Filho e, quando a divindade do Filho ainda não era admitida, acrescentar o Espírito Santo como um peso suplementar, para usarmos uma expressão um tanto ousada... É por meio de avanços e de progressões "de glória em glória" que a luz da Trindade resplenderá em claridades mais brilhantes.
875-"Como poderiam crer naquele que não ouviram? E como poderiam ouvir sem pregador? E como podem pregar se não forem enviados?" (Rm 10,14-15). Ninguém, nenhum indivíduo, nenhuma comunidade pode anunciar a si mesmo o Evangelho. "A fé vem da pregação" (Rm 10,17). Ninguém pode dar a si mesmo o mandato e a missão de anunciar o Evangelho. O enviado do Senhor fala e age não por autoridade própria, mas em virtude da autoridade de Cristo; não como membro da comunidade, mas falando a ela em nome de Cristo. Ninguém pode conferir a si mesmo a graça; ela precisa ser dada e oferecida. Isto supõe ministros da graça autorizados e habilitados da parte de Cristo. Dele, os bispos e os presbíteros recebem a missão e a faculdade (o "poder sagrado") de agir "na pessoa de Cristo-Cabeça", os diáconos, a força de servir o Povo de Deus na "diaconia" da liturgia, da palavra e da caridade, em comunhão com o  bispo e seu presbitério. A tradição da Igreja chama de "sacramento" este ministério, pelo qual os enviados de Cristo fazem e dão, por dom de Deus, o que não podem fazer nem dar por si mesmos. O ministério da Igreja é conferido por um sacramento específico.

É importante salientar que a ação,do Espírito Santo se faz uma necessidade para o despertamos da Fé,e
também vive-la.dentro destas realidades,reveladas,iremos finalizar está partilha,com um texto Bíblico,que faz
uma sintese da fé,para conosco,fazendo reavivar em nós um fortalecimento,de nossa fé,e dando animo na
caminhada.

 1.A fé é a certeza daquilo que ainda se espera, a demonstração de realidades que não se vêem.2.Por ela, os antigos receberam um bom testemunho † de Deus.3.Pela fé compreendemos que o universo foi organizado por uma palavra de Deus, de sorte que as coisas visíveis provêm daquilo que não se vê.4.Pela fé, Abel ofereceu a Deus um sacrifício melhor que o de Caim; graças a ela, recebeu o testemunho de ser justo, pois Deus atestou o valor de suas oferendas; e graças a ela, mesmo depois de morto, Abel ainda fala!5.Pela fé, Henoc foi levado, sem passar pela morte; não mais foi encontrado, porque Deus o levou. Antes de ser levado, porém, recebeu o testemunho de que foi agradável a Deus.6.Ora, sem a fé é impossível agradar a Deus, pois quem dele se aproxima deve crer que ele existe e recompensa os que o procuram.7.Pela fé, Noé, avisado divinamente daquilo que ainda não se via, levou a sério o oráculo e construiu uma arca para salvar os de sua casa. Pela fé, ele condenou o mundo, tornando-se herdeiro da justiça que se obtém pela fé.8.Pela fé, Abraão obedeceu à ordem de partir para uma terra que devia receber como herança, e partiu, sem saber para onde iria.9.Pela fé, ele viveu como migrante na terra prometida, morando em tendas, com Isaac e Jacó, os co-herdeiros da mesma promessa.10.Pois esperava a cidade de sólidos alicerces que tem Deus mesmo por arquiteto e construtor.11.Pela fé, embora Sara fosse estéril e ele mesmo já tivesse passado da idade, † Abraão tornou-se capaz de ter descendência, porque considerou fidedigno o autor da promessa.12.E assim, de um só homem, já marcado pela morte, nasceu a multidão “comparável às estrelas do céu e inumerável como os grãos de areia na praia do mar”.13.Todos estes morreram firmes na fé. Não chegaram a desfrutar a realização da promessa, mas puderam vê-la e saudá-la de longe e se declararam estrangeiros e peregrinos na terra que habitavam.14.Os que assim falam demonstram estar buscando uma pátria,15.e se estivessem referindo-se à terra que deixaram, teriam oportunidade de voltar para lá.16.Mas agora, eles desejam uma pátria melhor, isto é, a pátria celeste. Por isto, Deus não se envergonha deles, ao ser chamado o seu Deus, pois até preparou uma cidade para eles.17.Pela fé, Abraão, posto à prova, ofereceu Isaac em sacrifício; ele, o depositário da promessa, sacrificava o seu filho único,18.do qual havia sido dito: “É em Isaac que terá começo a tua descendência”.19.Ele estava convencido de que Deus tem poder até de ressuscitar os mortos, e assim recuperou o filho — o que era uma prefiguração.20.Foi pela fé, também, que Isaac abençoou Jacó e Esaú, a respeito das coisas futuras.21.Pela fé, Jacó, prestes a morrer, abençoou cada um dos filhos de José e, apoiando-se na extremidade do cajado, prostrou-se em adoração.22.Pela fé, José relembrou, já no fim da vida, o êxodo dos filhos de Israel e deu ordens acerca de seus restos mortais.23.Pela fé, Moisés, recém-nascido, foi escondido por seus pais durante três meses, porque viram a beleza do menino e não tiveram medo do decreto do rei.24.Pela fé, Moisés, já adulto, recusou ser chamado filho da filha de Faraó;25.preferiu ser maltratado com o povo de Deus a tirar proveito passageiro do pecado.26.Isto, porque considerava a humilhação do Cristo uma riqueza maior do que os tesouros do Egito, pois ele tinha os olhos fixos na recompensa.27.Pela fé, Moisés deixou o Egito, sem temer a ira do rei; permaneceu firme, como se visse o invisível.28.Pela fé, ele celebrou a Páscoa e fez a aspersão com sangue, para que o exterminador dos primogênitos † do Egito não matasse os de Israel.29.Pela fé, atravessaram o mar Vermelho como se fosse terra seca, enquanto os egípcios, tentando fazer o mesmo, se afogaram.30.Pela fé, ruíram os muros de Jericó, após as voltas ao seu redor durante sete dias.31.Pela fé, a prostituta Raab não morreu com os incrédulos, porque ela acolheu bem os israelitas que vieram reconhecer a região.32.Que mais devo dizer? Não teria tempo de falar ainda sobre Gedeão, Barac, Sansão, Jefté, Davi, Samuel e os profetas.33.Estes, pela fé, conquistaram reinos, exerceram a justiça, foram contemplados com promessas, amordaçaram a boca dos leões,34.extinguiram a violência do fogo, escaparam ao fio da espada, recobraram saúde na doença, mostraram-se valentes na guerra, repeliram os exércitos estrangeiros.35.Mulheres reencontraram os seus mortos pela ressurreição. Outros foram torturados ou recusaram ser resgatados, para chegar a uma ressurreição melhor.36.Outros ainda sofreram a provação dos escárnios, experimentaram o açoite, as cadeias, as prisões,37.foram apedrejados, serrados ou passados ao fio da espada, levaram vida errante, vestidos com pele de carneiro ou pêlos de cabra, oprimidos, atribulados, sofrendo privações.38.Eles, dos quais o mundo não era digno, erravam por desertos e montanhas, pelas grutas e as cavernas da terra.39.No entanto, todos eles, se bem que pela fé tenham recebido um bom testemunho, não alcançaram a realização da promessa.40.É que Deus estava prevendo algo melhor para nós: não queria que eles chegassem sem nós à plena realização.(Hebreus 11;1-40)
             
                                 Que possamos sempre contar,com o auxilio do Espírito Santo,para sermos fiéis a missão,ereavivar em nós
a Fé Pois:

 6.Ora, sem a fé é impossível agradar a Deus, pois quem dele se aproxima deve crer que ele existe e
recompensaos que o procuram.(Hb 11;6)
























3 comentários:

  1. NÓS SEM A FÉ; SERÍAMOS COMO UM PAPEL, SOLTO NO AR , O VENTO LEVA ONDE DESEJAR , E PARA AUMENTAR A NOSSA FÉ PRECISAMOS ESTA EM COMUNHÃO COM NOSSO DEUS.

    ResponderExcluir
  2. A CULTURA QUE O MUNDO NOS ENSINA É TERMOS FÉ EM NÓS MESMOS, NA CAPACIDADE INTELECTUAL, NO QUE CONSEGUIMOS VER, NA FORÇA MERAMENTE HUMANA, PORÉM SEM UMA FÉ SEGURA EM DEUS, QUANDO CONFIAMOS NA NOSSA PRÓPRIA FORÇA E SÓ NELA , PERCEBEMOS QUE SOMOS MUITO LIMITADOS E É QUANDO MUITAS VEZES CAÍMOS , SEJA EM UMA ENFERMIDADE OU NOS NOSSOS PRÓPRIOS ERROS, POREM FELIZ O HOMEM QUE RECONHECE O PODER DE DEUS, PELA PODEROSA INTERSEÇÃO DO SANTO ESPÍRITO, QUE RENOVA A NOSSA FÉ E NOS FORTALECE CONTRA TODA E QUALQUER BATALHA. QUE O ESPÍRITO SANTO SEJA A VIDA DOS NOSSOS CORAÇÕES HOJE E SEMPRE. UM ABRAÇO À TODOS. LÍVIA.

    ResponderExcluir